Manaus

Prefeitura fiscaliza obra emergencial de recuperação da rede de drenagem na Torquato Tapajós



Os trabalhos seguem intensificados no sentido bairro/Centro, da avenida Torquato Tapajós, zona Oeste de Manaus, após o rompimento da rede de drenagem profunda na via. A empresa terceirizada, responsável pela obra, trabalhou durante toda a madrugada desta quinta-feira, 3/2, para acelerar a conclusão do trecho comprometido da avenida, como foi determinado pelo prefeito David Almeida e pelo vice-prefeito e secretário de Infraestrutura Marcos Rotta, que, junto às equipes de engenharia da (Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), fazem a vistoria dos serviços.

“Os trabalhos na via foram realizados no ano passado e infelizmente apresentaram problemas, e como a obra ainda está no seguro, notificamos no dia 27 de janeiro a empresa responsável pelos serviços, que já está executando o serviço sem custos para os cofres do município. Não iremos gastar nenhum centavo do recurso público para refazer a via. Estamos acompanhando de perto, porque, além desse problema recorrente, nós estamos em uma das principais vias da cidade de Manaus, que é a Torquato Tapajós. A orientação do prefeito David Almeida é que a inspeção seja rigorosa. Estamos aqui junto com os nossos engenheiros”, afirmou Rotta, que desde as primeiras horas desta quinta-feira acompanha os trabalhos.

Conforme a explicação de Rotta, um tronco de árvore caiu durante a chuva, prejudicou a passagem correta das águas, e ocasionou o descolamento das juntas de colagem entre as aduelas e, consequentemente, a fuga de material granular de aterro, fazendo com que o pavimento cedesse.

A obra está sendo feita por etapas, interditada por trechos, evitando assim ainda mais transtornos para a população. Os trabalhos no sentido bairro-Centro estão sendo finalizados, e na sequência as equipes de engenharia seguem para a recomposição da tubulação da drenagem profunda no sentido Centro-bairro. O referido trecho abriga as passagens de fibra óptica, água e telefonia. A previsão é que as obras sejam concluídas nos próximos cinco dias, dependendo das chuvas, e sem nenhum ônus ao município.
— — —

*Texto* – Polyana Brelaz / Seminf
*Fotos* – Osmar Neto / Seminf

Deixe uma resposta